Repblica e cidadania Repblica das letras http://www.centenariorepublica.pt/
Repblica e cidadania Repblica das letras
Conferencistas

Faculdade de Letras, da Universidade de Coimbra

CV a disponibilizar brevemente
 

Instituto Superior de Economia e Gestão

Augusto Mateus é licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF), da Universidade Técnica de Lisboa. Presidente da empresa de consultoria Augusto Mateus & Associados. Professor Catedrático convidado do ISEG com responsabilidades docentes actuais nas áreas da Economia Europeia, da Política Económica e da Política Industrial e Competitividade, ao nível das Licenciaturas e dos Mestrados; Professor em Mestrados e cursos de pós graduação, no quadro de colaborações com outras Universidades e instituições de ensino superior como, nomeadamente, o Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, a Universidade da Beira Interior, o Instituto Nacional de Administração e as Faculdades de Economia das Universidades do Porto e de Coimbra. Investigador e consultor na área da macroeconomia, da política económica, da competitividade industrial, da estratégia empresarial, da avaliação de programas e políticas de desenvolvimento Responsável pela Coordenação de vários estudos de avaliação de programas e políticas públicas, (Avaliação ex-ante do Programa Operacional (2007-2013) Factores de Competitividade, Avaliação Intercalar dos Programas Operacionais (2000-2006) da Economia, da Região de Lisboa e Vale do Tejo, e da Cultura, Avaliação Final do Programa PME2000, Avaliação Final do Regime de Incentivos às Microempresas (RIME); Avaliação Intercalar da Iniciativa para a Modernização da Indústria Têxtil (IMIT), Avaliação da Operação Integrada de Desenvolvimento da Península de Setúbal e Avaliação da Relevância e Eficácia do Programa PEDIP, nomeadamente). Responsável pela Coordenação de vários projectos de investigação e estudos de economia aplicada, (nomeadamente, no quadro mais recente da preperação do QREN 2007-2013, “Competitividade Territorial e Coesão Económica e Social das Regiões Portuguesas” e “A Economia Portuguesa e o Alargamento da União Europeia”). Exerceu os cargos de Secretário de Estado da Indústria (Outubro 1995 – Março 1996) e de Ministro da Economia (Março 1996 – Dezembro 1997). Consultor de numerosas instituições e agências, nacionais e estrangeiras. Editor e membro de conselhos editoriais de publicações técnicas especializadas, nacionais e estrangeiras. Autor de mais de uma centena de comunicações em seminários e Colóquios da especialidade e de vasta obra difundida nas comunidades científicas nacional e internacional.
 

Faculdade de Letras, da Universidade de Coimbra

CV a disponibilizar brevemente
 

Tribunal de Contas e Centro Nacional de Cultura

Guilherme d’Oliveira Martins é licenciado e mestre em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. É Presidente do Tribunal de Contas e do Centro Nacional de Cultura; Professor Catedrático Convidado da Universidade Lusíada; Professor Catedrático Convidado do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa (ISCSP); Auditor Geral da Assembleia da UEO - União Europeia Ocidental (designado em 5 de Maio de 2008 por um mandato de 3 anos); Primeiro Vice-Presidente da EUROSAI (desde 5 de Junho de 2008); Presidente do Conselho de Prevenção da Corrupção (desde 4 de Setembro de 2008). Foi Ministro da Presidência (2000-2002); Ministro das Finanças (2001-2002); Ministro da Educação (1999-2000); Secretário de Estado da Administração Educativa (1995-1999); Deputado à Assembleia da República (II, III, VI, VII, IX, X e XI Legislaturas); Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS (X e XI Legislaturas); Vice-Presidente da Comissão Nacional da UNESCO (1988-1994); Presidente da SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social (1985-1995); Assessor Político da Casa Civil do Presidente da República (1985-1991); Chefe de Gabinete do Ministro das Finanças (1979); Assistente da Faculdade de Direito de Lisboa (1977-1985); Secretário-Geral da Comissão Portuguesa da Fundação Europeia da Cultura; Membro da Convenção sobre o Futuro da Europa; Presidente do Steering Committee do Conselho da Europa que elaborou a Convenção de Faro sobre o valor do Património Cultural na sociedade contemporânea (27 de Outubro de 2005). Entre as suas principais obras contam-se: Lições sobre a Constituição Económica Portuguesa (2 volumes); Oliveira Martins, uma Biografia; Ministério das Finanças – Subsídios para a sua História no Bicentenário da Secretaria de Estado dos Negócios da Fazenda; Escola de Cidadãos (2 edições); Portugal – Instituições e Factos (edições em inglês, francês e chinês); O Enigma Europeu; Educação ou Barbárie?; Audácia de País Moderno – Educação 1999-2000; Constituição Económica Portuguesa – Ensaio Interpretativo (com António L. de Sousa Franco); Oliveira Martins, um Combate de Ideias; O essencial sobre Oliveira Martins; Que Constituição Para a União Europeia?; O Novo Tratado Constitucional Europeu; Europa, Portugal e a Constituição Europeia (coordenação científica); Portugal, Identidade e Diferença – Aventuras da Memória (2 edições); A Lei de Enquadramento Orçamental. Anotada e Comentada (com Guilherme Waldemar d’Oliveira Martins e Maria d’Oliveira Martins) (2 edições); O Novo Tratado Reformador Europeu. Tratado de Lisboa – o Essencial; Património, Herança e Memória – A Cultura como Criação; Os Grandes Mestres da Estratégia. Estudos sobre o poder, a guerra e a paz (editor científico com Ana Paula Garcês).
 

Instituto de Ciências Sociais, da Universidade de Lisboa

Jaime Reis é investigador-coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e doutor pela Universidade de Oxford em História. Previamente, foi professor do Instituto Universitário Europeu (Florença), da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, onde também foi Director, e ainda das Universidades de Glasgow, Leicester e Vanderbilt (EUA). Tem investigado e publicado sobre história agrária, industrial, monetária e financeira, história macro-económica e história laboral portuguesa. É co-director da European Economic History Review. As suas obras mais recentes são: “Institutions and Economic Growth in the Periphery: The Efficiency of the Portuguese Machine of Justice, 1870-1910” in Giovanni Facchini and Geoffrey J.D. Hewings (eds), Economic Development in Latin America (Palgrave-Macmillan, 2010); e Vidas de Banqueiros: Os Dirigentes do Banco de Portugal, 1846-1914 (Lisboa, Banco de Portugal, 2010).
 

Instituto de Educação, da Universidade de Lisboa

Joaquim Pintassilgo é Doutor em Geografia e História pela Universidade de Salamanca (1996), Mestre em História Cultural e Política pela Universidade Nova de Lisboa (1987) e Licenciado em História pela Universidade de Lisboa (1982). Entre 1980 e 1998 desempenhou funções docentes em diversas escolas do ensino secundário (1980-1987) e nas Escolas Superiores de Educação de Castelo Branco (1987-1989) e de Portalegre (1989-1998). Nesta última foi Presidente do Departamento de Ciências Sociais e Humanas e suas Didácticas (1996-1998). Foi, entre 1998 e 2009, Professor do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, membro da respectiva Comissão Executiva (2005-2009), Coordenador Adjunto do Centro de Investigação em Educação (2003-2010) e Director Adjunto da Revista de Educação (2000-2004). Transitou recentemente para o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, tendo integrado a respectiva Comissão Instaladora (2009) e sendo, actualmente, um dos seus Subdirectores, para além de Presidente do Conselho Pedagógico. Foi, entre 2003 e 2006, Coordenador da Secção de História da Educação da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. É autor ou co-autor de obras diversas, em especial na área de História da Educação, de que se destacam República e formação de cidadãos. A educação cívica nas escolas primárias da 1ª República portuguesa (Colibri, 1998), A modernização pedagógica e a Escola para Todos na Europa do Sul no século XX (SPICAE, 2003), Democratização escolar: intenções e apropriações (CIE-FCUL, 2003), História da escola em Portugal e no Brasil: circulação e apropriação de modelos culturais (Colibri, 2006), A História da Educação em Portugal: balanço e perspectivas (ASA, 2007), Cidadania e liderança escolar (Porto Editora, 2007), A Escola Normal de Lisboa e a formação de professores: arquivo, história e memória (Colibri, 2009) e A História das disciplinas escolares de Matemática e de Ciências (Escolar Editora, 2010). Foi o Coordenador da equipa portuguesa do projecto de cooperação internacional História da escola em Portugal e no Brasil: circulação e apropriação de modelos culturais (2003-2007) e coordena, actualmente, o projecto Teacher Education Schools in Portugal: History, Archive, Memory, financiado pela FCT (iniciado já em 2010). É, neste momento, o coordenador da equipa portuguesa do Grupo Interuniversitário de Investigação em História Comparada da Escola na Europa do Sul (Sodalitas Pro Investigatione Comparata Adhaesa Educatione – SPICAE).
 

Instituto de Educação, da Universidade de Lisboa

Professor Associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa e Professor Convidado da Universidade de São Paulo-Brasil, instituições onde lecciona temáticas relacionadas com a história da educação, história da cultura e teoria do discurso. Tem escrito sobre história política, histórica cultural e das mentalidades, especialmente durante o período do Estado Novo, e também sobre história da educação e da pedagogia, num período mais longo e que se estende de meados do século XIX a meados de Novecentos. Além de vários outros trabalhos de menor dimensão e em co-autoria, em revistas científicas e em monografias, publicou os seguintes livros: O lugar de Salazar: Estudo e Antologia, Lisboa: Alfa; Os anos de Ferro: O Dispositivo Cultural durante a política do Espírito (1933-1949), Lisboa: Estampa; O Governo de si mesmo: Modernidade Pedagógica e Encenações Disciplinares do aluno Liceal (último quartel do século XIX – meados do século XX), Lisboa: Educa. Coordena projectos de investigação apoiados pela Casa Pia de Lisboa, pelo Ministério da Educação e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.
 

Faculdade de Letras, da Universidade de Lisboa

CV a disponibilizar brevemente
 

Instituto de Educação, da Universidade de Lisboa

Justino Magalhães, Historiador da Educação, Professor Catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Coordenador da Área de Investigação e Ensino de História da Educação e Psicologia da Educação, Coordenador do Curso de Doutoramento em História da Educação, autor de, entre outras as seguintes publicações: (2004). Tecendo Nexos: História das Instituições Educativas. Bragança Paulista (SP-Brasil): Universidade de São Francisco; (2006a). A Construção Historiográfica do Objecto Educacional: Cultura Escolar e Liberalismo em Portugal. Historia de la Educación, Revista Interuniversitaria, nº 25. Ediciones Universidad de Salamanca; pp. 131-152; (2006b). The School Manual within the Framework of Cultural History. Towards a Historiography of the School Manual in Portugal. Sísifo. Educational Sciences Journal, 01; pp. 7-16. http://sisifo.fpce.ul.pt; (2008). Escrita Escolar e Oficialização da Escola Portuguesa. In António Castillo Gómez (dir.). Mis primeros Pasos. Alfabetización, Escuela y Usos Cotidianos de la Escritura (Siglos XIX y XX). Gijón: Trea; pp. 19-40; Da Cadeira ao Banco: Escola e Modernização (séculos XVIII-XX) – (No Prelo).
 

Faculdade de Letras, da Universidade de Coimbra

CV a disponibilizar brevemente
 

Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação

Margarida Louro Felgueiras é Doutora em Ciências da Educação/História da Educação pela FPCE-UP (2002), onde é Professora Associada desde 2007. Licenciou-se em História pela FLUP e ingressou em 1984 na carreira universitária na U.M, foi docente da FLUP (1987). Tem colaborado em cursos de pós-graduação em várias universidades brasileiras e em 2009 foi professora visitante na USP, onde mantém uma estreita colaboração assim como com a UERJ e a UFMG. Coordena o Núcleo Educação, História e Museologia do Centro de Investigação e Intervenção Educativas-CIIE. Concebeu e coordenou o Mestrado em Educação e Herança Cultural. Coordenou a realização do VII Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação(Porto2008), do VII Ibérico de História da Educação (Paredes, 2009) e do II Fórum de Museologia da Educação (Viana do Castelo 2010). Foi coordenadora da Secção de História da Educação da SPCE(2007-2010).Autora do projecto de criação de um Museu Vivo da Escola Primária no Porto (PRAXIS XXI) realizou o inventário de espólios escolares (concelhos do Porto e Gondomar). História. Autora e investigadora em projectos de pesquisa de âmbito nacional e internacional, privilegia a história social da educação, a cultura material e o quotidiano escolar. Procura ligar a intervenção cultural no campo da preservação do património e da herança cultural com a investigação e Metodologia do Ensino da História. Centra os interesses de pesquisa na filantropia em educação, sobretudo nas escolas doadas ao Estado, nas instituições educativas em regime de internato, na museologia escolar e, mais recentemente, na história do ensino agrícola. Entre os seus trabalhos recentes conta: GRAÇA, Odete; FELGUEIRAS, Margarida Louro (coord.); Escolas Conde Ferreira – Marco Histórico da Instrução Pública em Portugal, Sesimbra, assembleia Municipal de Sesimbra, 2009; FERREIRA, António Gomes & FELGUEIRAS, Margarida Louro; Buildings telling European Heritage. Pedagogical Perspectives. EubuildIT: a proposal for teachers and students, Coimbra, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX – CEIS XX, 2008; FELGUEIRAS, Margarida Louro; Para uma História Social do Professorado Primário em Portugal no Século XX. Porto: Campo das Letras/CIIE – FPCEUP, 2008; COSTA, Jorge V., FELGUEIRAS, Margarida L., CORREIA, Luís G. (coord.), Catálogo Manuais escolares da Biblioteca Pública Municipal do Porto. Porto: Universidade do Porto/Câmara Municipal do Porto, 2008; “Cenografias da escolarização. Os edifícios escolares da Ditadura. Contributos.” ,in Revista Estudos do Século XX, n.º6, Coimbra, 2007; “A Literatura como representação de possibilidades”, in Gomez Garcia, Maria N.; Flecha Garcia, Consuelo; Corts Giner, M. Isabel(eds), La Literatura y la Educación: perspectivas históricas. Educación en la Literatura y Literatura en la Educación. Sevilha, Cajasol, 2007;“INVENTAriaNDO a Escola do Futuro revisitando o passado” in Figueiredo, Betânia.; Vidal, Diana; Museus. Dos Gabinetes de Curiosidades à Museologia Moderna, Belo Horizonte, Argumento, 2005;“The museums and the cultural construction of childhood”, in KARPPINEN, Seija (ed.); Neothemi. Cultural heritage and ICT. Theory & Practice, Studia Paedagogica nº 32, Helsinquia: University of Helsinki, Department of Teacher Education, 2004, [com Leonor Sousa]
 

Instituto de História Contemporânea, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa

Maria Cândida Proença possui o doutoramento em História Cultural e das Mentalidades dos Séculos XIX e XX, e agregação em Ciências da Educação, especialidade de Didáctica da História. Dedica-se ao estudo e investigação de temas relacionados com História Política e da Cultura e Mentalidades dos Séculos XIX e XX, História da Educação na época contemporânea e com o Ensino da História nas suas perspectivas histórica e didáctica. Comissária da exposição – Educar – Educação para todos. O ensino na I República. Co-autora com Luís Farinha do curso elearning: Republicanismo e Primeira Republica, CNCCR/Instituto Camões. Obras publicadas em 2008: D. Manuel II, Lisboa, Temas e Debates/Círculo de Leitores e A Questão Colonial no Parlamento – 1910-1926, Lisboa, Assembleia da República/D. Quixote. Publicações em 2009: “A Educação”, “A questão colonial (1910-1918)” e “A questão colonial (1919-1926)”, in História da Primeira República Portuguesa”, Lisboa, Tinta da China e História de Portugal, Vols. III e VII, Lisboa, Círculo de Leitores. Publicações em 2010 – História de Portugal, Vols II e V.
 

Unidade de Investigação & Desenvolvimento de Ciências da Educação, da Universidade de Lisboa e Escola Superior de Educação de Portalegre

Maria João Mogarro é Doutora em História da Educação pela Universidade de Lisboa (2004) e em Pedagogia pela Universidad de Extremadura (2001), Mestre em História Cultural e Política pela Universidade Nova de Lisboa (1989) e Licenciada em História pela Universidade de Lisboa (1982). É Professora Coordenadora da Escola Superior de Educação de Portalegre, a que pertence desde 1986, tendo sido Presidente do Departamento de Ciências Sociais e Humanas e suas Didácticas (1998-2008) e Presidente do Conselho Pedagógico (2001-2003). É investigadora da Universidade de Lisboa, na UI&DCE – Unidade de Investigação & Desenvolvimento de Ciências da Educação, desde 2004, e é também, neste momento, Coordenadora da Secção de História da Educação da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Lecciona nos cursos de Mestrado, Licenciatura e Especialização da Escola Superior de Educação de Portalegre e é professora convidada em programas de pós-graduação (Mestrados e Doutoramentos) de universidades nacionais e estrangeiras. Coordena, actualmente, o projecto de investigação Education and Cultural Heritage: schools, objects and pratices, financiado pela FCT (iniciado em 2010) e é investigadora do projecto Teacher Education Schools in Portugal: history, archive, memory, também financiado pela FCT (e iniciado já em 2010). De entre outras investigações que tem desenvolvido, destacam-se os projectos internacionais sobre A História da Escola em Portugal e no Brasil: circulação e apropriação de modelos culturais (CAPES-GRICES, 2003-2007) e a História da Profissão Docente em Portugal e no Brasil: aproximações e distanciamentos (CAPES-GRICES, 2007-2009), assim como a consultoria científica do projecto Inventário e Digitalização do Património Museológico da Educação, do Ministério da Educação português (2006-2008). É autora e co-autora de vários livros (como História da escola em Portugal e no Brasil: circulação e apropriação de modelos culturais. Colibri, 2006), e de artigos, conferências e comunicações em áreas como a formação de professores, o património educativo, a cultura escolar e a história das instituições educativas. Participa regularmente em eventos científicos internacionais e sua organização, como a ISCHE - International Standing Conference for the History of Education, o Congresso Ibérico e o Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação, o Congreso Iberoamericano de Historia de la Educación Latinoamericana e o Grupo Interuniversitário de Investigação em História Comparada da Escola na Europa do Sul (Sodalitas Pro Investigatione Comparata Adhaesa Educatione – SPICAE), cuja equipa portuguesa integra.
 

Escola Superior de Educação de Lisboa, do Instituto Politécnico de Portalegre

Maria José Artiaga é doutorada em Musicologia pelo Royal Holloway da Universidade de Londres. É professora coordenadora da Escola Superior de Educação de Lisboa, presidindo ao Departamento em Ensino das Línguas, Comunicação e Artes. No âmbito da promoção das artes e do ensino, integrou o Grupo de Trabalho Interministerial para o Ensino Artístico, criado pelo Ministério da Educação e pelo Ministério da Cultura em 1996 e, em 1998-1999, o Grupo de Contacto para a Educação Artística e a Promoção das Artes na Perspectiva das Políticas Públicas, coordenado por Augusto Santos Silva. É investigadora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, pertencendo actualmente à equipa de investigação do projecto, financiado pela FCT, "'Teatro para Rir': A comédia musical em teatros de língua portuguesa (1849-1900)". Tem colaborado em vários projectos do Instituto de Etnomusicologia (INET) da mesma faculdade, nomeadamente, em publicações no âmbito da Revivificação do Património Cultural Expressivo Tradicional em Portugal no Século XX e no Dicionário Multimédia da Cultura Expressiva em Portugal no Século XX. Tem investigado e publicado estudos sobre o ensino da música em Portugal entre 1870 e 1974 e sobre a música em Portugal no período entre 1860 e 1926.
 

Instituto Superior de Psicologia Aplicada

Sério Niza é Professor no Departamento de Psicologia da Educação, do Instituto Superior de Psicologia Aplicada; Director do Centro de Formação de Professores do Movimento da Escola Moderna; Director da revista Escola Moderna e Membro do Conselho Nacional de Educação. É detentor do Diploma de Especialização em Psicologia Educacional no Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa; Diploma de Estudos Superiores Especializados em Investigação em Educação na Escola Superior de Educação João de Deus, Lisboa e Diploma para o Ensino Primário na Escola do Magistério Primário de Évora . Entre as suas publicações contam-se: (1996). Necessidades especiais de educação: da exclusão à inclusão na escola comum. Inovação, Vol. 9, n.º 1 e 2. Lisboa: IIE;: (1997). Formação Cooperada. Lisboa: Educa; (1998). A organização social do trabalho de aprendizagem no 1º ciclo do Ensino Básico. Inovação, Vol. 11, n.º1. Lisboa: IIE; (1998). O modelo curricular de educação pré-escolar da escola moderna Portuguesa, in Formosinho, J. (org) Modelos curriculares para a educação de infância. Porto: Porto Editora; (1999). Uma escola para a Democracia, a Educação e o Futuro. In Debates – Presidência da República. Lisboa: INCM; (org) (1999). Criar o gosto pela escrita. Formação de Professores. Lisboa: ME-DEB e (2002). C/ João Formosinho. Prática Profissional dos Cursos de Formação Inicial de Professores. Lisboa: ME-INAFOP.
 


Inscrições até...